Marca Zênite

CGU: Programa Nacional de Prevenção à Corrupção é apresentado a órgãos do Executivo federal

Em reunião virtual, CGU e TCU detalham a iniciativa e apresentam a plataforma e-Prevenção

A Controladoria-Geral da União (CGU), em parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU), apresentou o Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC) e a plataforma e-Prevenção, na tarde dessa quinta-feira (1º/7), a órgãos do Poder Executivo federal. A reunião, virtual, contou com a presença de cerca de 65 participantes.

O PNPC, lançado no último dia 20 de maio, foi apresentado pelo diretor de Transparência e Controle Social da CGU, Breno Barbosa Cerqueira Alves. Trata-se de uma proposta inovadora adotada pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) voltada a todos os gestores das organizações públicas – das três esferas de governo e dos três poderes em todos os estados da federação – e tem o objetivo de reduzir os níveis de fraude e corrupção no Brasil a patamares similares aos de países desenvolvidos.

Em seguida, o secretário do Tribunal de Contas da União no Mato Grosso do Sul Mário Júnior Bertuol apresentou o e-Prevenção, ferramenta utilizada no âmbito do PNPC. A plataforma, online, oferece às organizações públicas a oportunidade de se autoavaliarem e verificarem o quanto estão suscetíveis à ocorrência de fraude e corrupção em suas estruturas. A partir desse diagnóstico, o gestor terá acesso a um plano de ação específico que apresentará sugestões e propostas adequadas às necessidades da sua instituição.

O evento também contou com a participação do secretário de Informações e Inteligência para o Controle Externo e o Combate à Corrupção do TCU, Tiago Modesto Carneiro Costa, que fez a abertura ao lado do diretor de Transparência e Controle Social da CGU, Breno Barbosa Cerqueira Alves.

O PNPC

O Programa Nacional de Prevenção à Corrupção é uma iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), executada pelas Redes de Controle da Gestão Pública dos 26 estados e do Distrito Federal, com a coordenação do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU). O programa tem ainda o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), da Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios (Abracom), do Conselho Nacional de Presidentes dos Tribunais de Contas (CNPTC), do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) e do Instituto Rui Barbosa (IRB).